terça-feira, 13 de novembro de 2012

“Deus seja louvado” (Política Reformada)



por Lucas G. Freire
Nosso governo é laico (dizem os magistrados) e, por isso, a expressão “Deus seja louvado” deve ser retirada das nossas cédulas de dinheiro. Não importa que nossa Constituição diga que foi elaborada “sob a proteção de Deus”. Logicamente, não é surpresa que religiosos de várias crenças estranhem esse pedidofeito ao Governo Federal por magistrados no estado de São Paulo.
De um lado, os religiosos tem feito um grande barulho em reação e, de outro, juízes e políticos firmam uma posição ainda mais absoluta contra qualquer tema religioso na vida pública brasileira. Em vez de justiça no nosso ambiente político, os religiosos querem afirmar o simbolismo dos seus valores e os magistrados desejam a secularização da nossa sociedade.
Na minha infância, em tempos de inflação absurda, alguém leu a frase “Deus seja louvado” numa nota de dinheiro e me disse: “Louvado como? Com esse dinheiro que é usado para roubar do povo?” A pergunta ficou escondida em algum lugar na minha cabeça. Agora, com a polêmica da mudança nas notas de dinheiro, ela volta ao primeiro plano.
De fato: como Deus pode ser louvado num dinheiro fraudulento e forçado, que é circulado para oprimir e espoliar a população brasileira? Um dinheiro que é uma enganação, igual vinho aguado, mas que atinge sobretudo os mais pobres e indefesos do nosso país! Será que Deus é louvado se a cédula do Real contém a frase “Deus seja louvado” mas continua sendo um dos maiores instrumentos de desobediência ao mandamento bíblico da justiça pública?
Uma moeda inflacionada é uma moeda fraudulenta. É uma zombaria contra o caráter justo e santo de Deus. Não é uma forma de Lhe dar louvor, e sim de blasfemar. Ao invés de querer uma frase impressa numa nota de dinheiro o cristão deveria militar por justos pesos e medidas. Militar contra a fraude. Isso sim é mandamento para a vida política – o mandamento da justiça pública.
No campo monetário, o que nossos juízes e magistrados deveriam fazer é combater a fraude e o roubo. Que façam um favor à nação: parem de imprimir não só a frase “Deus seja louvado”, mas todo o resto dessa mentira legalizada que é a nota do Real. Só estarão buscando a justiça pública quando uma moeda de verdade for permitida.
Muitos acreditam que os cristãos tem feito, em reação, uma “tempestade em copo d’água”. Acontece que o copo d’água ficou de lado, num canto qualquer, esquecido pela história. A tempestade é feita agora num copo de veneno – veneno que já nos tem intoxicado por décadas.
Esse veneno é a armadilha que quer capturar você, fazendo que acredite que uma frase na nota de dinheiro é mais importante que a moeda em si. “Deus seja louvado”: não no falso louvor impresso, e sim no louvor verdadeiro da justiça pública. “Deus seja louvado”: impresso ou não, que seja louvado sem hipocrisia.

Fonte: https://politicareformada.wordpress.com/2012/11/13/deus-seja-louvado/

Divulgação: